quarta-feira, 25 de maio de 2016

Um café, dois sorrisos


Ele levantou cedo, escovou os dentes e pôs-se a preparar o café. Ela continuou na cama dormindo um pouco mais (como era de seu costume). Ao acordar, se deparou com o cheiro na cozinha, o cheiro bom de café e pão quentinho.
- Bom dia, dorminhoca...
- Bom dia. Preparou o café tão cedo assim? (sorriu)
- Digamos que quero aproveitar melhor cada minuto desse dia.

Ela vestia uma blusa de alguma banda de rock antiga que pegou no guarda -roupa dele e um pijama. Passou as mãos no cabelo tentando alinhar os fios e sorriu envergonhada. Tomou um gole do café e disse:

- Sabe, eu tenho pensado muito...
- Em que ?
- Em quanto tempo perdemos,(falou como tristeza na voz)
- Não penso assim. Penso que agora estamos onde deveríamos estar.
- Mas amanhã eu pego o primeiro voo e você sabe...não sabemos.
- Eu sei que não sabemos e tudo bem.

Segurou a mão dela e tomaram o  café da manhã, não sabiam se seria o primeiro de muitos outros juntos ou o último mas sentiam o gosto da cumplicidade a cada gole...



Continua...

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Dias cinzas

Imagem: Google 

Os dias tem andado assim, nublados e cinzas.
Aqui dentro também, nem chove, nem faz sol.
E essa monotonia cansa.
As palavras ecoam na minha mente mas poucas saem.
O silêncio tem resumido os meus dias.
É...
Ontem sonhei que você estava em busca de um novo amor.
Nada tão distante da realidade.
Acordei chorando.
Sei que minhas lágrimas não mudarão meu sonho nem a realidade.
Mas dói saber que vou desaparecer lentamente das suas lembranças como um filme que vai se apagando.
Porque na verdade não gostamos de ser esquecidos.
Como está o tempo aí meu bem?
Espero que esteja sol
Porque esse cinza está em matando.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Somos pinóquios


Somos pinóquios que omitem o que sentem
Que escondem os desejos
Que se esquivam das vontades.
Dizemos que vai ficar tudo bem
Mesmo quando não temos tanta certeza assim.
Dizemos que vamos seguir sem olhar para trás...
Mas olhamos
Sentimos medo.
Mentimos sem querer
Demonstramos o maior dos sorrisos quando o coração está desmoronando.
Somos pinóquios tentando ser humanos.