quinta-feira, 20 de junho de 2013

Ausência presente.


É quase impossível não imaginar teu rosto ou até mesmo sua presença em certas pessoas e certos sorrisos. Eu nunca deixei de pensar nisso, mas esses dias têm sido realmente difíceis. É estranho, mas continuo te escrevendo diariamente, ainda que mentalmente.
Se você ainda vive em algum lugar, além de mim, deve ter notado.
Inclusive que, eu nunca vou deixar de te imaginar por aí. Nunca vou te esquecer e isso não é uma promessa, isso é tão parte de mim quanto qualquer outra coisa que eu queira esconder do mundo lá fora.
É tão parte de mim quanto o meu coração que palpita todos os dias na esperança de te reencontrar...
Como cada lágrima que desce ao ver as fotos rasgadas e envelhecidas com o tempo.
Te vejo em cores e sombras, em rostos e mãos. Te vejo em todos os lugares. Te ouço em cada música que me lembra você. Você está lá, ali, você está em mim e eu te peço não sai daqui.
E se já saiu e eu não percebi, volte. É bem mais fácil carregar o peso da vida ao seu lado.


 Ariana Coimbra ( Pensamentos em Palavras) e Talita Carvalho

sábado, 8 de junho de 2013

A casa é sua


A casa é sua pode entrar pequena.Tire os sapatos, coloque-os onde quiser. Preparei um chocolate quente para você e coloquei a sua música favorita para embalar essa tarde de inverno. Se você quiser posso embalar teu sono, ou te trago um café, ou faço um cafuné. Ah pequena entre e fique, faça daqui o seu lar. Que eu encontre fios dos teus cabelos ruivos no meu paletó e que seu perfume fique espalhado pela casa. e que eu acorde todos os dias olhando para o teu lindo sorriso. Ah menina, fique!

A casa é sua, pode entrar.