terça-feira, 20 de agosto de 2013

Queria ser o seu sorriso...

“Queria ser o seu sorriso”. é ser é mais que ter. Eu queria ser o motivo do seu sorriso. Mesmo que fosse de longe. Mesmo sem razão. Se eu sorrio assim do nada, a culpa é sua. A culpa é sua por me dar atenção e me tratar bem.
Se existissem menos “queria” e “se" talvez existissem menos planos, menos previsões, menos só hipóteses e quem sabe os sonhos fossem mais realidade, as comédias românticas fossem mais comédias do que românticas e dai? O coração também tem que nos fazer sorrir, se todo mundo pudesse conviver com uma crise de risos, seriam muito mais risos do que propriamente crises.
Talvez eu queira sair um pouco da minha cabeça e entrar na sua, dominar alguns pensamentos, como poucos já fizeram comigo.
Esse seu sorriso, cabe em alguns olhares e eles já saíram por ai fazendo com que alguém se apaixonasse sem pretensão, subestimando qualquer olhar que o contornasse com outro. Ah esses olhos, eles já fizeram algumas distâncias mais próximas, alguns pés sem chão e já fizeram até o ridículo de encontrar formas em nuvens, ou não tão ridículas assim. Um dia foi dito, que os olhos poderiam se apaixonar por um sorriso, eu não estou certa quanto á verdade disso, mas também não negaria a possibilidade, quem sabe isso acontece o tempo todo e ninguém consegue qualificar.
Esse "se" te coloca em defesa e te garante o princípio da dúvida, de como seria se você tivesse deixado que seus olhos se apaixonassem, gostassem, ficassem, mudassem. E se você fizesse diferente é por que teria que ser diferente, depois do que está feito, as coisas não tem uma hipótese, elas não devem atender outros caminhos ou entrelaçar sua criatividade com sua a sua vontade imediata, não desse contorno as suas escolhas, elas foram exatamente o que no tempo estava escrito e se tudo for mudar um dia, não será pelo “se" que você configurou no modo contínuo e descontrolado, será porque alguém sabe que o seu momento chegou, um alguém parou de embaralhar as peças do seu tabuleiro, parou de brincar de mágica com seu baralho e esconder a sua carta, alguém resolveu parar de tirar coelhos da cartola, alguém parou de armar e desarmar o seu circo. É hora de verdade, de você correr o risco e deixar que o seu sorriso seja meu e que o meu sorriso seja seu e que sejamos um do outro como um rio que corre para o mar como o mar que anseia o paraíso como um mundo em um único riso.

Ariana Coimbra e Talita Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toque uma nota.