sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Do amor a saudade


Relendo agendas antigas encontrei você, em fotos, escritos, poemas. 
Em cada linha, em cada verso.
Sinto a intensidade de cada palavra como se fosse hoje...esse amor não/mal vivido (nem sei descrever).
Você era chato e eu não concordava com tudo que você dizia, mas quer saber um segredo?
Eu amava discutir com você. Sei também que eu era bem imatura nessa época, talvez os dois.
Mas ás vezes eu sinto falta porque eu acreditava no amor e em contos quase de fadas e só por acreditar já era feliz.
Éramos amigos, não sei se os melhores mas tínhamos uma ligação.
Infelizmente nossos caminhos se separaram e em diversos momentos quis você aqui- não tive. Em outros quis estar aí- não pude.
Dos muitos sonhos só ficou a vontade.
E do amor, a saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toque uma nota.