quarta-feira, 28 de novembro de 2012

O EU e o OUTRO



Estava pensando muito sobre isso e ao assistir o filme "Sonata de Outono" na Universidade em um cine -debate confirmou meu pensamento: O quanto dependemos do outro para ser quem somos. Isso é maravilhoso e ao mesmo tempo perverso. Maravilhoso porque recebemos influencias positivas sobre nós e perverso porque da mesma forma o outro pode destruir o eu de alguém. Em parte o outro é responsável pelo eu e o eu é responsável pelo outro. Quantas palavras ditas podem ferir a alma? Quantos gestos impensados podem causar traumas praticamente irreparáveis. Um professor meu disse que "a nossa liberdade muitas vezes fere a liberdade do outro". Quantas vezes isso acontece sem percebermos?  (...)
Até que ponto minhas escolhas me definem? Ou as escolhas que os outros fazem acabam por me definir. 
Eu sou partes dos outros, marcas que deixaram sobre mim. Os outros são partes de mim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toque uma nota.