terça-feira, 29 de julho de 2014

A noite na cidade.

É noite na cidade.
As luzes se acendem.

A prostituta se põe à esquina.
O menino do semáforo acende um baseado.
O mendigo sente fome e frio.

A prostituta vende seu corpo como uma forma de sobreviver.
O menino usa a droga como válvula de escape da relidade
O mendigo busca a esperança em um pedaço de pão.

É noite da cidade. Todos dormem ou não?
É noite na cidade.
Todos dormem? Não.

2 comentários:

  1. Simples, forte e muito real, Tally.
    Muito bom!

    A rua tem um quê de poesia, mesmo em meio às dores sociais.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  2. Percebendo essa realidade e nos sentindo tão pequenos por poder fazer tão pouco ou nada, é que devemos ao menos agradecer. Agradecer a Deus pela nossa cama quentinha e nossa possibilidade de dormir nessa cidade. Abraço, Tally!

    ResponderExcluir

Toque uma nota.