quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Mais uma carta...


Talvez esta seja a minha última carta, ou talvez, seja apenas mais uma que irá se juntar as demais acumuladas na minha gaveta.
Tenho evitado escrever, pois quando escrevo me dispo, me exponho. Mas as palavras pediram pra sair, imploraram.
Tenho andado "tranquila" e pode parecer estranho mas na maioria do tempo não sinto nada.Mas vezenquando a saudade vem, grita e arde.
Não estávamos preparados, nós nem mesmo cogitamos a possibilidade de um final. Mas aconteceu.
Eu parti não por querer, mas por não ter como permanecer.
E sabe de uma coisa? Hoje não importa mais quem errou, erramos muito. Hoje já não nos entendemos, é como se não falássemos nem o mesmo idioma.
Sempre fomos opostos mas no que tínhamos em comum éramos a dupla perfeita.
Eu sei que você não chegará a ler esta carta e que assim como tentei reparar os danos será inútil.
Mas a escrevo por mim.
Ás vezes eu quero escrever mas desisto, pois sei que tudo irá convergir para a mesma questão.
Se não nas linhas, nas entrelinhas...
A verdade que mesmo sufocada não deixa de existir:
Que eu te amo ainda e talvez pra sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toque uma nota.