domingo, 10 de fevereiro de 2013

De janeiro a Janeiro.


Amor, sei que não faz mais nenhum sentido te chamar assim, mas é que pelas recordações que descreverei não existe palavra mais adequada. É que quando rompemos um relacionamento geralmente as imagens que mais vem a nossa mente são as discussões, brigas, os defeitos. Mas vez ou outra me pego pensando nas coisas boas que vivemos e isso é tão bom e doloroso ao mesmo tempo. Estava lembrando de você, ouvi essa musica e lembrei de tanta coisa. O dia que você me mostrou ela foi um dia de pizza e declarações, lembrei também o dia que apostamos uma corrida e só pra não me deixar vencer você parou na minha frente e carregou até o fim do percurso (uma trapaça válida) quando me chamava de boneca, quando sorria pra mim com os olhos, quando tentávamos a todo custo nos manter juntos. Das promessas que fizemos e infelizmente não puderem se concretizar. Das suas surpresas de chocolate, das cartas, das rosas. A verdade é que você chegou em uma época em que eu estava fria, desacreditada e você aqueceu minha vida, me fez acreditar de novo em mim. E por isso sou grata, por tudo o que vivemos e por tudo o que aprendemos apesar da dor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toque uma nota.